Saúde

No Brasil, a data é comemorada em 15 de julho. Porém, no exterior, a data considerada como Dia Internacional do Homem é 19 de novembro. Vale lembrar ambas as datas, por que não? Cada vez mais os homens contribuem de forma positiva nas famílias, na criação e na guarda dos filhos, temas que até recentemente tinham o predomínio absoluto das mulheres. Hoje é possível ver, por opção, homens que cuidam da casa, enquanto suas mulheres trabalham fora.

Valorizar o homem comum, de vida decente e honesta, sem apelar para estrelas do cinema e do esporte é muito importante. É também uma forma de destacar o papel que o homem desempenha na engrenagem social, com ônus conhecido: por motivos óbvios,  predominam na realização de tarefas que demandam esforço físico, ou perigosas. Muitas vezes é arrimo de família desde cedo, e suas obrigações interferem no desenvolvimento do seu crescimento pessoal para alcançar o seu pleno potencial.

Há um ônus na masculinidade que se atesta por sua maior mortalidade. Vejam, nascem 107 homens para cada 100 mulheres. Aos oitenta anos, há quatro homens para cada seis mulheres. Essas estatísticas devem promover a reflexão sobre a causa da perda de vidas masculinas no caminho da existência, cujo ápice de taxa de mortalidade ocorre aos 22 anos de idade motivada principalmente pela violência. Como responsável por si mesmo, o homem deve também se voltar para sua saúde física, seu bem-estar social, emocional, físico e espiritual. Do ponto de vista da saúde o homem deve se cuidar muito mais, pois nesse aspecto é negligente, se comparado à mulher. Tanto que, homens que têm companheiras têm maior longevidade. A explicação é que as esposas cuidam, zelam, levam ao médico!

Ao fazer suas escolhas de estilo de vida, ele deve abdicar do tabagismo; libertar-se do álcool, que no nosso meio, nos finais de semana ou depois do trabalho, é visto como atividade de lazer ou de sociabilidade; e cuidar do Diabetes, da Obesidade, e do Sedentarismo. Atualmente o uso abusivo do álcool é a principal causa de enfraquecimento ósseo do homem. A segunda causa é a baixa do hormônio testosterona que atinge cerca de um sétimo da população masculina entre os cinquenta anos e um quinto após os sessenta anos. Por isso, um em cada cinco homens sofre uma fratura relacionada à fragilidade óssea. Deveainda manter as vacinas em dia, fazer os exames preventivos do câncer de próstata, de pulmão, de intestino e demais solicitados por seu médico.

O notável interesse pelo "mundo" masculino se faz presente pelo crescente número de publicações ocorrido nos últimos anos, com conteúdo de grande interesse do gênero, tal como:  fitness, nutrição, sexualidade, estilo de vida, hobbies, etc. Isto também tem demonstrado que os homens também ampliaram muito os seus horizontes de interesse.

O equilíbrio psicológico masculino é outro fator crucial para ele ser feliz. Estudos comprovam o quanto a paz interior interfere na vida do Ser Humano. A harmonia de seu ciclo familiar proporciona uma maior qualidade de vida em sua existência. Em outras palavras, um lar acolhedor, prazer em suas realizações, e estabilidade em seu sustento traz o tão perseguido equilíbrio emocional masculino. Conquistar essecoeficiente emocional significa sintonia emtodas as áreas de sua vida, desde o trabalho até no amor.

Autoria: Fábio Ribeiro Baião, coordenador da Ortopedia do Hospital da Baleia, e Patrícia Augusta de Alvarenga, professora do Centro Universitário UNA, psicóloga e mestre em Administração

HOSPITAL DA BALEIA

Assistência de qualidade a pacientes e desenvolvimento profissional para colaboradores.


Contato

Rua Juramento, 1464, Belo Horizonte / MG / Brasil.
Email : ouvidoria@hospitaldabaleia.org.br
Telefone: 31 3489 1500
CEP. 30.285-048
Consultas: 31 3465 5800

GALERIA

REDES SOCIAIS