Fundação Benjamin Guimarães

Nascido no dia 17 de dezembro, na cidade mineira de Santo Antônio de São João Acima (hoje Igaratinga), Benjamin era o filho mais velho de Manoel Ferreira Guimarães e Maria Constância Moreira.
 
Aos 13 anos, mudou-se para o Rio de Janeiro com o intuito de trabalhar na firma Xavier e Gontijo, cujos proprietários eram os também mineiros Bernardo Xavier Rebelo e Domingos Gontijo.
 
Naquela época, Benjamin trabalhava como caixeiro. Suas responsabilidades se resumiam em varrer o chão, arrumar as mercadorias e atender os clientes. Mesmo assim, no tempo em que exerceu essa função, mostrou ser um funcionário de confiança e bastante competente. Seus patrões, ao perceberem tais qualidades, faziam questão de estimulá-lo. Não demorou muito e Benjamin tornou-se vendedor.
 
Altamente dedicado, proporcionou lucros inéditos para o estabelecimento. Após dois anos de trabalho, decidiu voltar para Minas Gerais, mais precisamente para a cidade de Bom Sucesso. Lá, começou a trabalhar no comércio de Joaquim Machado da Silva Neto, como vendedor. A destreza de Benjamin despertou a atenção de seu chefe, que, reconhecendo o valor de seu empregado que ofereceu-lhe sociedade. Assim, em 1880 a empresa passou a se chamar Machado e Guimarães.
 
Benjamin se casou com Maria Ambrosina em 1883, com quem teve doze filhos, sendo que três faleceram ainda crianças. O casal teve uma união sólida e harmoniosa que durou 65 anos.
 
A sociedade comercial trouxe prosperidade assim como o seu próprio negócio, a Casa Popular de Bom Sucesso, inaugurada em 1889.
 
Apostando em novos horizontes, Benjamin Guimarães investiu no setor têxtil. A oportunidade surgiu quando seu amigo, Juca Fonseca, o convidou para incorporarem, em 1906, a Cia. Industrial de Valença, localizada na cidade com o mesmo nome, no Estado do Rio de Janeiro. Ali, começava a se consolidar a trajetória de sucesso de Benjamin Guimarães. 

Em 1925, Benjamin Guimarães construiu sua primeira obra assistencial, uma escola em Bom Sucesso que, no ano seguinte, passou a contar com um orfanato para meninas. A partir daí, ajudou também na construção de Hospitais Santa Casa, orfanatos, asilos e escolas em Minas Gerais e outros estados.
 
Benjamin Guimarães foi uma pessoa empreendedora e muito à frente de seu tempo, aliando o dinamismo à sensibilidade e solidariedade para fazer o melhor para a população, em 1944, do Hospital da Baleia.   

 

HOSPITAL DA BALEIA

Assistência de qualidade a pacientes e desenvolvimento profissional para colaboradores.


Contato

Rua Juramento, 1464, Belo Horizonte / MG / Brasil.
Email : ouvidoria@hospitaldabaleia.org.br
Telefone: 31 3489 1500
CEP. 30.285-048
Consultas: 31 3465 5800

GALERIA

REDES SOCIAIS